Cores na fotografia – Edição

Modelo em por do sol da praia de boa viagem

Para encerrar esta série, falaremos de um elemento cheio de polêmicas, aquele que pode salvar ou prejudicar uma sessão. A edição é de extrema importância, e embora tenham colegas que não é façam, sou daqueles que defende que a foto só está pronta após este processo. Vamos bater um papo sobre a temida edição.

Tratamento ou Edição?

Para melhorar a compreensão do que será falado aqui, é importante fazer esta desambiguação. Embora tenham alguns pontos em comum, tratamento e edição tem finalidades e processos distintos. Enquanto no tratamento são feitas pequenas correções de exposição, luzes, sombras e temperatura de cores, a edição é a modificação mais profunda, estrutural e por vezes, artística. Se você é daqueles que pensa que tirar a foto do jeito que sai da câmera é ter a foto “pura”, livre de tratamento, sinto informar que você está redondamente enganado. A única coisa que aconteceu é que você delegou à câmera (ou ao software de revelação) o tratamento da sua imagem. Dito isto, vamos ao nosso assunto que é…

As cores na edição

Seguindo o raciocínio dos nossos dois artigos anteriores, vou tratar aqui especificamente da edição para ajuste de cores. Neste caso, estamos falando de transmitir uma mensagem, ou valorizar algum elemento específico daquela sessão, de modo que ele se torne mais notório. O mais comum é que este elemento seja o próprio ambiente, desde um por-do-sol mais aquecido até uma foto mais saturada em um belo campo florido. A foto acima é um exemplo de edição feita para valorizar o ambiente.

Contudo, a edição deve conversar com todos os elementos, não deve desconsiderar e nem descaracterizar tudo que já havia sido pensado para este sessão. Então o grande desafio é encontrar o equilíbrio entre valorizar e descaracterizar. É neste momento que muitos colegas se perdem, isso é normal. Com o tempo vamos desenvolvendo técnicas para evitar que isso aconteça.

Como escolher

Uma das grandes dúvidas que podem surgir é: quais cores eu devo utilizar? Quais eu devo modificar? Como vou saber quais decisões tomar? Bem, a resposta é muito simples e está na sua foto.

A menos que você queira fazer uma transformação radical (aquecer uma foto em tons frios e vice-versa), sua foto vai fornecer a paleta de cores ideal para que você faça sua edição de forma segura, sem causar estranheza no seu expectador.

Modelo em alto de um prédio com outros prédios ao fundo

A foto acima foi realizada em um fim de tarde. Naturalmente eu já utilizaria tons quentes para fazer minha edição, mas neste caso específico, eu tive uma grande ajuda: a blusa da modelo. A cor me deu o tom necessário para criar o filtro que foi aplicado nesta e nas demais fotos desde mesmo ensaio. Se você observar bem, sempre haverá algum elemento na foto que servirá de guia de cores e vai tornar tua vida muito mais fácil.

Em caso de dúvida, você pode simplesmente aumentar ou diminuir a temperatura de cores e fazer pequenos ajustes na matiz e na saturação de cada uma individualmente. É uma técnica um pouco mais trabalhosa, mas é muito eficiente.

Modelo em sacada do prédio com cabelos voando ao vento
Nesta foto o efeito foi de resfriamento, pelo horário e pela paleta de cores da sessão

Preto e branco

A fotografia em preto e branco merece um artigo completamente a parte. Mas eu não poderia deixar de falar aqui sobre este estilo. Existe uma brincadeira com fundo de verdade na fotografia de que foto em preto e branco salva foto ruim (falo sobre isso neste post). Nem preciso dizer o quanto eu discordo deste pensamento. A foto preto e branco deve ser pensada para ser assim. No preto e branco, você não terá cores para gerar contrastes, contamos muito mais com as diferenças de luzes neste caso para dar forma ao nosso trabalho.

O estilo traz uma série de sensações: elegância, classe, atemporalidade, sensualidade… A lista é extensa, por isso é muito importante saber exatamente o que você quer transmitir ao optar pela edição em P&B. O ideal seria levar esta escolha em consideração nos momentos anteriores, na escolha do local e do figurino. Não é necessário retirar as cores do look na hora de tomar as decisões. Eu diria que o mais importante é escolher looks com cores únicas no lugar de estampas, isso vai trazer um resultado muito mais interessante e consistente.

Modelo em frente ao Cine São Luiz, no Recife
A composição desta foto foi pensada para valorizar o P&B

Outra escolha super importante é o local, mais especificamente, o horário. Conhecer o local, onde terão sombras e contrastes interessantes que possam gerar fotos com um forte apelo ao P&B. Contrariando expectativas, os horários menos queridos pelos fotógrafos podem gerar resultados surpreendentes neste quesito.

Finalizando

Ao longo desta série, quis enfatizar como cada uma das etapas se entrelaçam, cada decisão tomada no passo anterior pode afetar o seguinte. Embora pareça uma abordagem linear, o processo é muito mais orgânico, e quanto mais estudo e referências vocês tiverem, mais natural estas tomadas de decisões será.

Espero muito que tenham gostado e que este conhecimento seja útil para todos vocês. Aguardem mais séries e não deixem de acompanhar as postagens regulares. Beijos para todos, até a próxima!

Deixe uma resposta